domingo, 1 de maio de 2011

ENQUETE 04/2011


RESULTADO DA ENQUETE SOBRE CESTA BÁSICA DO LIVRO


Agradeço a todos que participaram da enquete, dessa vez tivemos uma maior participação, um total de 33 pessoas respondendo a pergunta: Você concorda com o projeto "cesta básica do livro", que dará dois livros de literatura por ano para estudantes da rede pública de ensino? 78% (26 pessoas) responderam “Sim, pois as pessoas terão mais acesso à leitura”, 15% (5 pessoas) responderam “Não, pois gera aumento nos gastos públicos e não garante que o livro seja lido” e 6% (2 pessoas) responderam “Tanto faz, acho que o projeto vai ser indiferente para ampliar o gosto pela leitura”.
Segue um texto explicando um pouquinho sobre este projeto.


Projeto institui “Cesta Básica do Livro” para alunos de escolas estaduais
Escrito por Ascom
Qua, 16 de Fevereiro de 2011 23:00

Projeto apresentado hoje (16/02) pelo deputado estadual Diogo Tita, institui no Âmbito da Secretaria de Estado de Educação, o programa “Cesta Básica do Livro”, destinado a prover às famílias de estudantes das Escolas Estaduais, um acervo mínimo de leitura.
O deputado sugere em seu projeto, que famílias que tenham filhos matriculados nas escolas estaduais do Estado de Mato Grosso do Sul, possam receber a cada bimestre letivo, 2 livros de conteúdo literário, artístico ou científico, constantes de catálogo elaborado pelo Conselho Estadual de Educação.
A lei proposta pelo deputado é estruturada da seguinte forma: a cada 2 anos, o catálogo de títulos será devidamente atualizado.
De acordo com a justificativa do projeto, trata-se de uma ampliação da Cesta Básica, que a bem da verdade é apenas limitada a prover a alimentação do brasileiro comum, e que representa muito pouco pelo valor atual do salário mínimo, de R$ 545,00 ( Quinhentos e quarenta e cinco reais). 
Pela Constituição de 1988, o salário mínimo deve prover outras necessidades, não somente para um trabalhador, mas para toda sua família, em média formada por 2 (dois) adultos e 2 (dois) adolescentes ou crianças.
Diogo Tita destacou que além de alimentos, é necessário que a cesta básica do brasileiro contenha os livros, que é um patrimônio cultural insubstituível da humanidade.
“Estudos recentes mostram que as crianças que dispõem em casa de livros, jornais e revistas têm um desempenho muito mais positivo em sua alfabetização.  Também recentes estudos mostraram que 15 milhões de brasileiros são privados do mundo letrado.  Frequentemente o único livro existente na casa dos nossos pobres é a Bíblia, e esta é praticamente inacessível para as crianças”, destaca.
Tita aponta que em nosso país temos o programa do “Livro Didático”, entretanto eles ficam somente 1 ano com as famílias e não pertencem a elas.
“Infelizmente, no Brasil a literatura ainda está entre as últimas prioridades do Brasileiro. Além de ter pouco dinheiro para adquirir livros, quando os tem, gasta-se com DVD, Celular, CD, jogos eletrônicos e outras atividades, nunca sobrando para a leitura”, explica.
Ele disse ainda que realizada uma pesquisa “O Livro no Orçamento Familiar”, encomendada por diversas entidades ligadas ao mercado editorial, com base na última divulgação do IBGE no item “Pesquisa de Orçamentos Familiares”.
“Nesta pesquisa houve uma comparação entre os gastos da família brasileira com material para leitura e outra despesa de comunicação e lazer.  Nas famílias entrevistadas, 47% adquiriram algum tipo de material de leitura, sendo R$ 5,47 bilhões em um ano.  Desse valor, 52% foram destinados a jornais e revistas, 19,6% para livros didáticos e 9,7% para fotocópia. Apenas, infelizmente, 10,1% foram gastos com literatura propriamente dita”, afirma.
O parlamentar justificou que é urgente incentivar a leitura dos alunos e pais de alunos da Rede Pública Estadual, e sendo assim, torna-se indispensável a preciosa ajuda do Poder Público para melhorar os índices já citados. 

(Fonte- Assessoria de imprensa: Carolina Assis DRT-394/MS)
Acesso em 04/04/2011.
Saiba mais em:

2 comentários:

Iolanda disse...

Não concordo mesmo. Para começar, por que não aumentam o salário e deixam que o cidadao decida o que fazer com a miséria que está ganhando (e continuará a a ganhar? As bibliotecas estão abarrotadas de livros, basta tomá-los de empréstimo. Desde os meus 11 anos tenho lido bastante e nunca precisei comprar livros. Esses livros vao ter o mesmo destino da maioria dos livros didáticos: vao ficar lá nos armários, empoeirando e ocupando espaço. Que país é esse, que faz tudo pelo avesso? Estão empregando muito mal o meu e o seu rico e suado dinheirinho. Vivem na esbórnia e, só pra fingir que fazem algo, inventam qualquer coisa, pra tapar o sol com a peneira. Estou tão aborrecida!

Pati Alves disse...

É verdade Iolanda, devemos sim ter acesso aos livros, e temos através das bibliotecas. Ter livros em casa não garante sua leitura e nem o desenvolvimento do hábito e do prazer da leitura. Devemos sim incentivar a leitura mas essa forma (doação de livro) ainda não é a forma mais adequada.
Adorei seu desabafo, é para isso mesmo que serve este espaço, para manifestarmos nossas opiniões.